Entrevista com a autora Adriana Soares Borges

Adriana Soares Borges é a autora do livro de mini-crônicas inspiradas no cotidiano infantil, Meu Povo Minha Póva. O livro colecionou as histórias que vivenciou diariamente junto aos seus filhos para reuni-las numa obra inspiradora, sensível e engraçadíssima.
Aproveitamos que a Adriana estará aqui esta semana para o lançamento do seu livro para fazer um bate papo com ela e o resultado desta entrevista você confere aqui:

– Como se tornou escritora?

Não sei se sou digna de ser chamada de escritora. Tornei-me autora de um livro assim como me tornei mãe, sem saber nada, nem por onde começar! (Risos) Tinha a vontade de deixar para os meus filhos uma lembrança do melhor período da vida, a infância. Minha madrinha Carmem e a minha Bá, fizeram isso por mim, registraram em fitas K7 e fotografias as imagens e falas de quando eu era criança. Até hoje me emociono quando encontro esse material. É um gesto de amor gigante.

– O que te levou a escrever para o público infantil?As crianças de hoje estão mais interessados em literatura?

O movimento que percebo é de crianças interessadas e inspiraras! Várias famílias me retornam dizendo que depois de lerem Meu Povo Minha Póva também querem registrar esse mundo infantil e os filhos também manifestam a vontade de escrever um livro. Cabe aos pais e responsáveis incentivar esse interesse e dar vazão à criatividade dos pequenos. Material farto, com certeza!

– No livro Meu Povo Minha Pova vc coleciona histórias dos seus filhos. Conte para a gente uma das “tiradas” dos pequenos citados no livro??

Tem uma mini crônica que faz muito sucesso, intitulada Futebol. Segue a foto

 

– Como foi o processo de desenvolvimento do livro?

O registro do conteúdo do livro foi primeiramente publicado nas redes sociais, a primeira mini crônica em 2013. Anotar na minha página pessoal foi a maneira que encontrei de alcançar a nossa família que mora em outra cidade. E assim, com o passar do tempo, surgiram apreciadores fiéis que começaram a cobrar um livro.
Já tinha essa idéia no coração e a morte do meu pai – avôzão, amoroso e muito presente nas nossas vidas – me motivou a levar o projeto adiante. Foi um grande desafio trafegar por caminhos novos, mesmo sendo uma comunicadora de formação!
O processo de desenvolvimento do livro foi um grande aprendizado. Muitas reuniões com o ilustrador e diagramador, os prazos do planejamento foram atrasados, com exceção para a gráfica que fez bonito, e tirar o ISBN foi um capítulo à parte. Da primeira reunião à concretização do projeto foram 1 ano de instigações.

– Nossas crianças crescem familiarizadas com a internet e o grande desenvolvimento tecnológico. A tecnologia é uma rival da literatura infantil??

A tecnologia deveria ser uma aliada no processo de aprendizagem de todos nós. O que vemos são rotinas familiares estressantes, e muitas vezes o recurso tecnológico das telas em geral, é a saída mais fácil e rápida de entretenimento. Mal usada a tecnologia é uma rival de todos nós.

Ressalto apenas que parte da renda do livro será destinada para a Creche Alecrim, na região da Estrutural, aqui em Brasília. Essa creche abriga 90 crianças na faixa etária de recém nascidos até 7 anos, filhos de catadores de lixo. Para muitas crianças a creche é o único lugar que se alimentam e tomam banho.

Adoramos o bate papo, Adriana.
Sabemos que você vai adorar conhecer mais essa história e essa autora.

Para prestigiar essa obra, venha com sua família para o lançamento do livro aqui na vitrine.
Anota aí:

Data: 05/10
Horário: 18:00 às 21:00
Local: Piso 3 em frente a Uomo

Não vai perder, hein?

 

 

Deixe o seu comentário